Esta daqui depende da sua idade. Se, hoje, Grêmio, Palmeiras, Santos e Flamengo, por exemplo, são figurinhas carimbadas na Libertadores, o futebol brasileiro já foi representado por alguns clubes que fazem você se perguntar: “Como chegaram lá?”. Listamos 5 deles para refrescar sua memória. Todas as participações ocorreram há mais de 25 anos.

NÁUTICO – 1968
Foi a única participação do clube, a 1ª de um pernambucano. Ficou com a vaga por ter sido vice-campeão da Taça Brasil de 1967 – o Palmeiras conquistou os dois “Brasileirões” do ano, a Taça Brasil e o Torneio Roberto Gomes Pedrosa. O Náutico ficou em 3º do grupo e parou na 1ª fase. A chave tinha o Palmeiras e dois venezuelanos, o Galícia e o Deportivo Português. O Timbu perdeu a classificação por conta de um erro bizarro: na vitória sobre o Dep. Português, em Recife, fez uma 2ª substituição, o que não era permitido. Acabou perdendo os pontos do jogo.

BANGU – 1986
No tempo em que era comandado pelo bicheiro Castor de Andrade, o Bangu foi um time forte do futebol carioca e brasileiro. Vice-campeão nacional em 1985, jogou sua única Libertadores, em 1986, numa chave com Coritiba e dois equatorianos, Barcelona e Deportivo Quito. Com 2 empates e 4 derrotas, o Bangu acabou na lanterna.

CRICIÚMA – 1992
Campeão da Copa do Brasil de 1991, com o técnico Felipão, o Tigre foi, até a Chapecoense de 2017, o único catarinense a jogar uma Libertadores. Na edição 1992, foi comandado por Levir Culpi, tendo ficado em 1º da chave com São Paulo e os bolivianos San Jose e Bolívar. Nas oitavas, eliminaria o Sporting Cristal, com duas vitórias, e reencontraria o São Paulo, nas quartas. Aí o Tricolor Paulista levou a melhor: acabaria faturando sua 1ª Libertadores, duas fases mais tarde.

GUARANI – 1979, 1987 e 1988
– Campeão brasileiro em 1978, o Bugre, hoje na Série B do Brasileiro e no Série A-2 do Paulista, foi campeão de sua chave na Libertadores 79, superando Palmeiras e os peruanos Alianza Lima e Universitario. No triangular semifinal, superou o Palestino, do Chile, mas não o Olímpia, que conquistaria seu 1º título. O Guarani foi 3º colocado naquela edição.
– Em 1987, na condição de vice do Brasileirão de 1986, o clube de Campinas parou na fase de grupos, fazendo mais pontos que o São Paulo, mas menos que os chilenos Cobreloa e Colo-Colo.
– Em 1988, como vice do módulo amarelo da Copa União, foi campeão do grupo com Sport e, novamente, os peruanos Alianza e Universitario. Nas oitavas, parou no San Lorenzo.

BAHIA – 1960, 1964 e 1989
– Primeiro campeão nacional (Taça Brasil 1959), o Bahia foi o 1º representante brasileiro em Libertadores, na edição inaugural, 1960, em que foi eliminado pelo San Lorenzo, logo no 1º mata-mata.
– Em 1964, na condição de vice da Taça Brasil 1963 – o campeão Santos tinha vaga garantida por ter vencido a Libertadores do mesmo ano –, o Bahia voltou a ser eliminado no 1º mata-mata, desta vez, pelo Deportivo Itália, da Venezuela.
– Em 1989, então campeão brasileiro, ficou em 1º em sua chave, com Internacional e os venezuelanos Marítimo e Táchira. Nas oitavas, eliminou o Universitario, do Peru. Reencontrou o Inter nas quartas e parou por aí.

OUTRAS PARTICIPAÇÕES QUE, TALVEZ, VOCÊ NÃO LEMBRE
Juventude – 2000 (eliminado na fase de grupos)
Paysandu – 2003 (eliminado nas oitavas, pelo Boca)
Santo André – 2005 (eliminado na fase de grupos)
Paulista de Jundiaí – 2006 (eliminado na fase de grupos)
Paraná – 2007 (eliminado nas oitavas, pelo Libertad)
Goiás – 2006 (eliminado nas oitavas, pelo Estudiantes)
Coritiba – 1986 e 2004 (em ambas, eliminado na fase de grupos)
Sport – 1988 (eliminado na fase de grupos) e 2009 (eliminado nas oitavas, pelo Palmeiras)

Bangu disputou a Libertadores 1986

Bangu disputou a Libertadores 1986

 

Veja também:

 

CamisetasGozadas.com.br

Curta a PÁGINA DE RISOBOL

Inscreva-se no CANAL RISOBOL no YouTube

Inscreva-se no canal Fritura!

E-book de humor, grátis!